CARPE DIEN

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

CALENDARIO DE APRESENTAÇÃO DO CADERNO DO ALUNO DA SITUAÇÃO 05 ATÉ O FINAL E AVALIAÇÕES DE GEOGRAFIA DO 4º BIMESTRE 2018




CALENDARIO DE APRESENTAÇÃO DO CADERNO DO ALUNO VOLUME 02 DA SITUAÇÃO 05 ATÉ O FINAL E AVALIAÇÕES DE GEOGRAFIA DO 4º BIMESTRE 2018







SÉRIE


TURMA

DATA DA PROVA
DATA DA APOSTILA ATÉ

1ª SÉRIES


1A, 1B e 1C

29 DE NOVEMBRO 5ª FEIRA

22 DE NOV
 5ª FEIRA

2ª SÉRIES


2D e 2E


28 DE NOVEMBRO 4ª FEIRA

21 DE NOV
 4ª FEIRA

2A, 2B e 2C


30 DE NOVEMBRO 6ª FEIRA

23 DE NOV
6ª FEIRA

3ª SÉRIES


3A E 3B


29 DE NOVEMBRO 5ª FEIRA

22 DE NOV
 5ª FEIRA

3C e 3D


30 DE NOVEMBRO 6ª FEIRA

23 DE NOV
6ª FEIRA

terça-feira, 2 de outubro de 2018

3as SÉRIES GEOGRAFIA SIT 05, 06, 07, 08 E 09 TEXTO DE APOIO 4o BIMESTRE



3AS SÉRIES

 
GEOGRAFIA - SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM
 05 - OS FLUXOS DE TRANSPORTE MATERIAIS E IMATERIAIS

Ao longo do século xx, os meios de transporte passaram a ser mais rápidos encurtando as distancias entre os continentes, já que no inicio deste mesmo século o transporte de mercadorias era realizado por navios que faziam o percurso entre Londres e Nova Iorque em sete dias, porem já no ano de 2003 com o avanço tecnológico era possível realizar essa mesma viagem em um avião supersônico em 3 horas e meia, esse avanço teve um papel fundamental ao ampliar as redes de comercio mundial com a distribuição de produtos pelo mundo. Produtos feitos na China, por exemplo: são embarcados e vendidos no Brasil, França e no Paraguai simultaneamente. Os meios de transporte, o comercio e a distribuição de mercadorias representam exemplos de fluxos materiais, já que possuem materialidade e volume. Na atualidade, o avanço das tecnologias da comunicação e da informação delineou uma variedade de novos sistemas responsáveis para dar corpo aos denominados fluxos imateriais, essa imaterialidade manifesta-se pela enorme diversidade de transações feitas por meio da telefonia e internet, que podem ser considerados os verdadeiros tecidos de nossas vidas, pois atualmente a tecnologia da informação provocou mudanças tão significativas quanto a eletricidade o fez na era industrial. Ao analisar as dinâmicas desses fluxos chegamos a conclusão que há uma interdependência total entre esses inúmeros sistemas, como por exemplo: podemos assegurar que uma parcela considerável da logística dos sistemas de transporte e distribuição de mercadorias esta intimamente ligada as redes de conexão on-line, dessa forma é possível afirmar que os fluxos materiais e imateriais ligam-se a mesma teia que disponibiliza uma enorme variedade de transações, tanto econômicas quanto culturais.



GEOGRAFIA - SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM - 06 - MEIO TECNICO-CIENTÍFICO-INFORMACIONAL

Em muitos casos os termos “técnica e tecnologia” são usados como sinônimos, porém, eles não são a mesma coisa, a técnica no seu sentido estará restrito há habilidades manuais, já a tecnologia sugere o pensamento organizado sobre as técnicas. Para o historiador brasileiro Rui Gama, a tecnologia pode ser considerada uma forma cientifica de sistematizar os conhecimentos relacionados ás técnicas, de uma forma resumida, as técnicas são um saber fazer aprendido na pratica e transmitido de geração a geração ao longo da vida cotidiana, enquanto as tecnologias representam um saber vinculado a ciência moderna. O conhecimento global do planeta é um dos aspectos- chave na virada do século, ela se harmoniza com outros elementos da nossa época como a globalização marcada pela transnacionalização dos setores hegemônicos da economia e dos territórios (espaços globalizados). Após a segunda guerra mundial por intermédio das empresas transnacionais e alguns países, valores máciços de capitais são investidos na pesquisa cientifica, o sistema produtivo  global  baseados nas tecnologias modernas impõe uma organização do espaço geográfico com grande conteúdo técnico-cientifico


 
GEOGRAFIA - SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM - 07 - OS FLUXOS DE INFORMAÇÃO

Assim como os meios de transporte ampliaram os fluxos de mercadorias, outro setor contribuiu de modo decisivo para a ampliação dos fluxos de informação. Em meados do século XX, as famílias se reuniam em volta do radio para ouvir as noticias e últimos sucessos musicais, com o surgimento da televisão muita coisa mudou. Em 1969 o Brasil foi integrado ao sistema mundial de comunicações por satélite permitindo  a muitos brasileiros acompanhar a chegada do homem a lua, de lá pra cá, a evolução das transmissões tornou-se tão surpreendente que o mundo pode acompanhar  on-line a tragédia que ocorreu no 11 de setembro de 2001 quando um comando terrorista lançou Aviões contra as torres gêmeas em Nova Iorque e no edifício do Pentágono em Washington, nos Estados Unidos. Por outro lado é importante ressaltar que uma parte significativa da população mundial ainda não tem acesso a meios de comunicação, a desigualdade também pode ser constatada se levar em conta o relatório do programa nacional das nações unidas para o desenvolvimento de 1999. As barreiras geográficas podem ter caído para as comunicações, mas emergiram para uma nova barreira, uma barreira invisível que é como a ampla rede mundial de computadores envolve os que estão ligados a ela e, silenciosamente exclui o resto.
 Assim como os meios de transporte ampliaram os fluxos de mercadorias, outro setor contribuiu de modo decisivo para a ampliação dos fluxos de informação. Em meados do século XX, as famílias se reuniam em volta do radio para ouvir as noticias e últimos sucessos musicais, com o surgimento da televisão muita coisa mudou. Em 1969 o Brasil foi integrado ao sistema mundial de comunicações por satélite permitindo  a muitos brasileiros acompanhar a chegada do homem a lua, de lá pra cá, a evolução das transmissões tornou-se tão surpreendente que o mundo pode acompanhar  on-line a tragédia que ocorreu no 11 de setembro de 2001 quando um comando terrorista lançou Aviões contra as torres gêmeas em Nova Iorque e no edifício do Pentágono em Washington, nos Estados Unidos. Por outro lado é importante ressaltar que uma parte significativa da população mundial ainda não tem acesso a meios de comunicação, a desigualdade também pode ser constatada se levar em conta o relatório do programa nacional das nações unidas para o desenvolvimento de 1999. As barreiras geográficas podem ter caído para as comunicações, mas emergiram para uma nova barreira, uma barreira invisível que é como a ampla rede mundial de computadores envolve os que estão ligados a ela e, silenciosamente exclui o resto.


GEOGRAFIA - SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM - O8 - AS CIDADES GLOBAIS

Uma das primeiras tentativas para definir, categorizar e classificar as cidades globais foi realizada a partir, (1998) de acordo com essa categorização, são quatro as principais atividades que demostram a força de cada cidade global: Os bancos, a bolsa de valores, as empresas de publicidade, firmas de consultoria e seguros e os centros de pesquisa. Todas as cidades que não possuem empresas desses setores em seu meio urbano ou que tem apenas um ou outro dos setores desenvolvidos, não poderão ser considerados “cidades globais”, estando fora da rede de fluxo que hoje comanda as atividades mundiais.



GEOGRAFIA - SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM - 09 - A GLOBALIZAÇÃO DO CRIME

Brasília, o fenômeno da globalização reflete em setores que vão além da economia mundial passando, inclusive, por atividades ilícitas, a avaliação foi feita pelo diretor geral da PF ao falar sobre o treinamento policial unificado entre países da América do Sul para reduzir o trafico de drogas para o continente europeu. A movimentação hoje esta facilitada no mundo, as barreiras e fronteiras foram minimizadas, o diretor reforçou que, a medida que o pais melhora suas relações comerciais e a capacidade de transporte, não só de pessoas, mas também do próprio comércio legal as facilidades tendem a ser utilizadas  pelo crime organizado. Ao todo 350 alunos incluindo os aprovados do ultimo concurso da PF e 32 estrangeiros foram divididos em nove turmas, o curso tem como objetivo reduzir a rota do trafico de drogas que sai da América do sul rumo a Europa, passando por países do continente africano. Desde 2005, cerca de trinta e três toneladas de cocaína foram apreendidas no oeste da África.

AGRADECIMENTOS AO PROFESSOR DAVY SANTOS


domingo, 30 de setembro de 2018

3ª SÉRIE - COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS 1º E 2º BIMESTRE 2018




ENTREGAR PARA A PROFESSORA AS 

ATIVIDADES DE COMPENSAÇÃO DE

 AUSÊNCIAS ATÉ 

DIA 09 DE OUTUBRO 3ª FEIRA



3ª SÉRIE COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS

 1o E 2o BIMESTRE 2018





INSTRUÇÕES PARA FAZER AS ATIVIDADES DE COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS


FAZER A ATIVIDADE MANUSCRITA EM FOLHA ALMAÇO SEM CORTAR, COM CANETA AZUL OU PRETA.

CADA ATIVIDADE SERÁ APRESENTADA EM FOLHA ALMAÇO SEPARADAMENTE.

CADA AUSÊNCIA SERA COMPENSADA COM UMA ATIVIDADE DE ACORDO COM A RELAÇÃO A SEGUIR.
 
3ª SÉRIE

COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS 1º BIMESTRE

ATIVIDADE I – PESQUISA SOBRE, Regionalização do espaço mundial

ATIVIDADE II – PESQUISA SOBRE, As regiões da ONU

ATIVIDADE III -  PESQUISA SOBRE,  O conflito Norte e Sul

ATIVIDADE IV -  PESQUISA SOBRE, Globalização e regionalização econômica

 
3ª SÉRIE
 
COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS 2º BIMESTRE

ATIVIDADE I -  PESQUISA SOBRE, Choque de civilizações?

ATIVIDADE II -  PESQUISA SOBRE, Geografia das religiões

ATIVIDADE III -  PESQUISA SOBRE, A questão étnico-cultural

ATIVIDADE IV -  PESQUISA SOBRE, América Latina?

ATIVIDADE V – Fazer um texto resumindo as atividades I, II, III e IV, referentes ao 2º
Bimestre.

2ª SÉRIE - COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS 1º E 2º BIMESTRE 2018




ENTREGAR PARA A PROFESSORA AS 

ATIVIDADES DE COMPENSAÇÃO DE

 AUSÊNCIAS ATÉ 

DIA 09 DE OUTUBRO 3ª FEIRA




2ª SÉRIE COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS

 1o E 2o BIMESTRE 2018





INSTRUÇÕES PARA FAZER AS ATIVIDADES DE COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS


FAZER A ATIVIDADE MANUSCRITA EM FOLHA ALMAÇO SEM CORTAR, COM CANETA AZUL OU PRETA.

CADA ATIVIDADE SERÁ APRESENTADA EM FOLHA ALMAÇO SEPARADAMENTE.

CADA AUSÊNCIA SERA COMPENSADA COM UMA ATIVIDADE DE ACORDO COM A RELAÇÃO A SEGUIR.
 
2ª SÉRIE

COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS 1º BIMESTRE

ATIVIDADE I – PESQUISA SOBRE,
A gênese geoeconômica do território brasileiro

ATIVIDADE II – PESQUISA SOBRE,
A gênese das fronteiras  brasileiras

ATIVIDADE III -  PESQUISA SOBRE,
Território brasileiro: do “arquipélago” ao “continente”  

ATIVIDADE IV -  PESQUISA SOBRE, O Brasil e a economia global: mercados internacionais
 
2ª SÉRIE
 
COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS 2º BIMESTRE

ATIVIDADE I -  PESQUISA SOBRE,
Os circuitos da produção (I): o espaço industrial

ATIVIDADE II -  PESQUISA SOBRE,
Os circuitos da produção (II): o espaço agropecuário

ATIVIDADE III -  PESQUISA SOBRE,
Redes e hierarquias urbanas

ATIVIDADE IV -  PESQUISA SOBRE,
A revolução da informação e as cidades

ATIVIDADE V – Fazer um texto resumindo as atividades I, II, III e IV, referentes ao 2º
Bimestre.

1ª SÉRIE - COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS 1º E 2º BIMESTRE 2018



ENTREGAR PARA A PROFESSORA AS 

ATIVIDADES DE COMPENSAÇÃO DE

 AUSÊNCIAS ATÉ 

DIA 09 DE OUTUBRO 3ª FEIRA


1ª SÉRIE COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS

 1o E 2o BIMESTRE 2018


   INSTRUÇÕES PARA FAZER AS ATIVIDADES DE COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS  


FAZER A ATIVIDADE MANUSCRITA EM FOLHA ALMAÇO SEM CORTAR, COM CANETA AZUL OU PRETA.


CADA ATIVIDADE SERÁ APRESENTADA EM FOLHA ALMAÇO SEPARADAMENTE. 


CADA AUSÊNCIA SERA COMPENSADA COM UMA ATIVIDADE DE ACORDO COM A RELAÇÃO A SEGUIR. 
 


1ª SÉRIE


COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS 1º BIMESTRE
 
ATIVIDADE I – PESQUISA SOBRE, Os elementos que constituem  os mapas: os recursos, as escolhas e os interesses.
 
ATIVIDADE II – PESQUISA SOBRE, O sensoriamento remoto: a democratização das informações.
 
ATIVIDADE III - PESQUISA SOBRE, Geopolítica:  o papel dos Estados Unidos e a nova
“desordem” mundial.
ATIVIDADE IV - Os deserdados  na nova ordem mundial: as perspectivas de ordem mundial solidária.
 
1ª SÉRIE
 
COMPENSAÇÃO DE AUSÊNCIAS 2º BIMESTRE
 
ATIVIDADE I - 
PESQUISA SOBRE, A mudança das distâncias geográficas e os processos migratórios.


ATIVIDADE II - 
PESQUISA SOBRE, A globalização e as redes geográficas.


ATIVIDADE III - 
PESQUISA SOBRE,  Os grandes fluxos do comércio mundial e a construção de uma malha global.


ATIVIDADE IV - 
PESQUISA SOBRE,  Regulamentar os fluxos econômicos na escala mundial: é possível encontrar um bem comum?


ATIVIDADE V – Fazer um texto resumindo as atividades I, II, III e IV, referentes ao 2º
Bimestre.

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

3AS SÉRIES TEXTO DE APOIO PARA A ATIVIDADE DAS PALAVRAS CHAVES




3AS SÉRIES TEXTO DE APOIO PARA A ATIVIDADE DAS PALAVRAS CHAVES


Continente AfricanoInformações e dados sobre a Continente Africano, economia, relevo, geografia, países, mapa, rios, vegetação, religiões, problemas africanos Introdução (localização e limites geográficos)A África é um continente com, aproximadamente, 30,27 milhões de quilômetros quadrados de terras. Estas se localizam parte no hemisfério norte e parte no sul. Ao norte é banhado pelo mar Mediterrâneo; ao leste pelas águas do Oceano Índico e a oeste pelo Oceano Atlântico. O Sul do continente africano é banhado pelo encontro das águas destes dois oceanos.Informações importantes sobre o Continente Africano:
- A África é o segundo continente mais populoso do mundo (fica atrás somente da Ásia). Possui, aproximadamente, 1,3 bilhão de habitantes (estimativa 2018).- É um continente basicamente agrário, pois cerca de 63% da população habitam o meio rural, enquanto somente 37% moram em cidades.- No geral, é um continente pobre e subdesenvolvido, apresentando baixos índices de desenvolvimento econômico. A renda per capita (PIB per capita), por exemplo, é de, aproximadamente, US$ 915,00. O PIB (Produto Interno Bruto) corresponde a apenas 1% do PIB mundial. Grande parte dos países possui parques industriais pouco desenvolvidos, enquanto outros nem se quer são industrializados, vivendo basicamente da agricultura.- O principal bloco econômico africano é o SADC (Southern Africa Development Community), formado por 15 países: África do Sul, Angola, Botswana, República Democrática do Congo, Lesoto, Madagascar, Malaui, Maurício, Moçambique, Namíbia, Suazilândia, Seychelles, Tanzânia, Zâmbia e Zimbábue.- Além da agricultura, destaca-se a exploração de recursos minerais como, por exemplo, ouro e diamante. Esta exploração gera pouca renda para os países, pois é feita por empresas multinacionais estrangeiras, principalmente da Europa.- Os países africanos que possuem um nível de desenvolvimento um pouco melhor do que a média do continente são: África do Sul, Egito, Marrocos, Argélia, Tunísia e Líbia.- Os principais problemas africanos são: fome, epidemias (a AIDS é a principal) e os conflitos étnicos armados (alguns países vivem em processo de guerra civil).- Os índices sociais africanos também não são bons. O analfabetismo, por exemplo, é de aproximadamente 40%.
- As religiões mais presentes no continente são: muçulmana (cerca de 40%) e católica romana (15%). Existem também seguidores de diversos cultos africanos.- As línguas mais faladas no continente são: inglês, francês, árabe, português e as línguas africanas.- A África possui uma fauna rica e diversificada. Os principais animais que vivem neste continente são: elefante africano, leão, zebra, rinoceronte, hipopótamo, leopardo, hiena, gorila, chacal, chipanzé, girafa e avestruz.Geografia da África:- Principais rios: Nilo, Níger, Congo, Limpopo, Zambeze e Orange.- Clima: Clima Mediterrâneo (chuvas na primavera e outono) no norte e sul; Clima Equatorial (quente e úmido) no centro.- Relevo: Monte Atlas (norte), Planalto Centro-Africano (região central), Grande Vale do Rift com altas montanhas e depressões (leste). Na região norte destaca-se o Deserto do Saara. Ele é o maior deserto do continente africano com cerca de 9.400.00 km² de superfície.- Montanhas mais altas: Kilimanjaro (Tanzânia) com 5.896 metros, Monte Quênia (Quênia) com 5.199 metros e Monte Margherita (Uganda) com 5.110 metros.- Cidades mais populosas: Cairo (Egito), Lagos (Nigéria), Kinshasa (R. D. do Congo), Cartum (Sudão), Johanesburgo (África do Sul) e Gizé (Egito).- Maiores ilhas: Madagascar com 587.041 km² e Reunião com 2.510 km².- Países que fazem parte do continente africano: Angola, Argélia, Botsuana, Camarões, Lesoto , Madagascar, Malawi, Maurício, Moçambique, Namíbia, Suazilândia, Zâmbia, Zimbábue, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, Chade, Congo, Benin, Burkina Faso, Cabo Verde, Camarões, Costa do Marfim, Gabão, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Libéria, Mali, Mauritânia, Níger, Nigéria, Senegal, Serra Leoa, São Tomé e Príncipe, Togo,  Egito, Líbia, Marrocos, Saara Ocidental, Sudão, Sudão do Sul, Tunísia, Burundi, Djibuti, Eritreia, Etiópia, Quênia, Ruanda, Seychelles, Somália, Tanzânia, e Uganda.Você sabia?- É comemorado em 25 de maio de cada ano o Dia da África.- Seicheles é o menor país da África com 455 km² de superfície.- O maior país da África é o Sudão com 1.886.068 km² de superfície.O continente africano conta com 54 países independentes e é o segundo país mais populoso da terra, possuindo cerca de um sétimo da população de todo o planeta. É também o terceiro continente de maior extensão da Terra, com uma área que abrange cerca de 30 milhões de km², cobrindo aproximadamente 20,3% da Terra.Entre 30 países mais pobres do mundo, ao menos 21 são africanos. De forma geral, o continente é pobre e subdesenvolvido. A maioria da população vive na zona rural (63%). A separação entre a África e a Europa é feita pelo Mar Mediterrâneo e todo o continente está sob uma placa tectônica exclusiva.Os países mais desenvolvidos da região são a África do Sul, Egito, Marrocos, Argélia, Tunísia e Líbia.Quadro Físico do continente africano O relevo é formado principalmente pelos planaltos. A altitude média chega a mais de 750 metros. Ao redor dos planaltos estão as depressões. Nestas os rios circulam, e também os lagos e muitas bacias hidrográficas. Entre os principais rios estão Nilo, Congo, Chade, Níger, Zambeze, Limpopo, Cubango e Orange.No Leste africano há uma grande falha geológica, devido à existência de vulcões no passado. Pelas elevações de terra existem dois grandes conjuntos:Cadeia do Atlas;Cadeia do Cabo. Clima do continente africanoEquatorial (quente e úmido): na região centro-ocidental;Desértico: Saara e Calaari;Mediterrâneo (chuvas presentes na primavera e outono): extremidade setentrional e da extremidade meridional do continente;Tropical: presente em quase toda a África, entre o centro e o sul. Vegetação e Fauna do Continente AfricanoOnde há clima equatorial, estão as florestas equatoriais. Na parte setentrional e meridional estão as savanas. Ao longo do litoral mediterrâneo está a vegetação mediterrânea. Quando à fauna, os animais mais presentes na região são o elefante africano, hiena, leão, zebra, leopardo, gorila, hipopótamo, rinoceronte, chacal, girafa, avestruz, chimpanzé.Regiões do Continente AfricanoA África divide-se em cinco regiões:África Ocidental; Norte da África; África centro-oriental;África centro-ocidental;África Meridional. Composição étnica do Continente AfricanoA maior parte da África é constituída pelos negros. Os brancos estão na porção setentrional, que por isso é chamada África Branca. Os brancos são principalmente árabes e berberes.As religiões mais presentes são a muçulmana e a católica romana, além de outros ritos africanos.Fala-se principalmente o inglês, francês, árabe, português, além de outras línguas africanas. A África é o terceiro continente mais extenso (atrás da Ásia e da América) com cerca de 30 milhões de quilômetros quadrados, cobrindo 20,3 % da área total da terra firme do planeta. É o segundo continente mais populoso da Terra (atrás da Ásia) com cerca de mil milhões de pessoas (estimativa para 2005 1 ), representando cerca de um sétimo da população mundial, e 54 países independentes.
 Apresenta grande diversidade étnica, cultural, social e política. Dos trinta países mais pobres do mundo (com mais problemas de subnutrição, analfabetismo, baixa expectativa de vida), pelo menos 21 são africanos.2 Apesar disso existem alguns países com um padrão de vida razoável, mas não existe nenhum país realmente desenvolvido na África.3 A Líbia, Maurícia e Seicheles têm uma boa qualidade de vida. Ainda há outros países africanos com qualidade de vida e índices de desenvolvimento razoáveis, como a maior economia africana, a África do Sul e outros países como Marrocos, Argélia, Tunísia, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.4
 A África costuma ser regionalizada de duas formas, a primeira forma, que valoriza a localização dos países e os dividem em cinco grupos, que são a África setentrional, a África Ocidental, a África central, a África Oriental e a África meridional. A segunda regionalização desse continente, que vem sendo muito utilizada, usa critérios étnicos e culturais (religião e etnias predominantes em cada região), é dividida em dois grandes grupos, a África Branca ou setentrional formado pelos oito países da África do Norte, mais a Mauritânia e o Saara Ocidental, e a África Negra ou subsaariana formada pelos outros 44 países do continente.

2AS SÉRIES TEXTO DE APOIO PARA A ATIVIDADE DAS PALAVRAS CHAVES



2AS SÉRIES TEXTO DE APOIO PARA A ATIVIDADE DAS PALAVRAS CHAVES

ENTREGAR NA SEMANA DE 11-09 À 14-09-18


Matrizes Culturais do Brasil
 Existe diferença entre os termos "raça" e "etnia"?
 O termo raça tem uma variedade de definições geralmente utilizadas para descrever um grupo de pessoas que compartilham certas características morfológicas. Já a palavra etnia significa "gentio", proveniente do adjetivo grego ethnikos. O adjetivo se deriva do substantivo ethnos, que significa gente ou nação estrangeira. É um conceito polivalente, que constrói a identidade de um indivíduo resumida em: parentesco, religião, língua, território compartilhado e nacionalidade, além da aparência física.
 Composição étnica da população brasileira
  A população brasileira foi formada a partir de três grupos fundamentais: o branco europeu, o negro africano e o ameríndio. Antes da chegada dos portugueses, o território era habitado por milhares de povos indígenas (sobretudo dos grupos tupi e jê ou tapuia). A partir da colonização, a maior parte da população indígena foi exterminada, dela restando hoje apenas alguns milhares de indivíduos.
Os negros africanos, pertencentes sobretudo aos grupos bantos e sudaneses, foram trazidos como escravos para trabalhar na agricultura (cana-de-açúcar, café) e na mineração (ouro e diamantes). Além dos portugueses, outros europeus também contribuíram para a formação da população brasileira, através da imigração, principalmente a partir de 1850 (alemães, italianos, espanhóis).
A miscigenação desses três grupos étnicos deu origem aos mestiços: mulatos (descendentes de brancos e negros), caboclos (de brancos e ameríndios) e cafuzos (de negros e ameríndios). Há ainda uma parte formada por descendentes de povos asiáticos, especialmente japoneses. Para a formação do contingente populacional do país, a imigração em si pouco representou (pouco mais de cinco milhões de indivíduos, desde a Independência, dos quais 3,5 milhões permaneceram no país) e praticamente cessou a partir do final da segunda guerra mundial.
 A princípio o branco europeu, o índio e o negro e posteriormente, no século XIX, a entrada de migrantes principalmente europeus.
Diz-se de matrizes culturais do Brasil a formação cultural de sua população que ocorreu através da miscigenação de vários grupos étnicos. A princípio o branco europeu, o índio e o negro e posteriormente, no século XIX, a entrada de migrantes principalmente europeus.
 Esclarecimentos necessários:
O termo etnia refere-se a agrupamentos humanos com uma unidade cultural em comum, ou seja, possuem traços culturais que se assemelham: idiomas, costumes, maneiras de pensar, sentir e agir. Já o termo raça, muito usado no passado, passou por uma reavaliação. A biologia colocou esse termo em desuso, impróprio para se referir a seres humanos, visto que se constatou que não existem raças humanas e sim raça humana. Todos seres humanos pertencem a uma única raça.
 As etnias que formaram a matriz cultural do Brasil
Quando os portugueses chegaram aqui a terra estava totalmente povoada por pessoas as quais foram denominadas de índios. Eram vários grupos étnicos que possuíam semelhança e diferenças culturais, mas foram todos considerados índios. A primeira miscigenação que ocorreu foi com o branco europeu e os índios do Brasil.
Para Portugal tornar o Brasil produtivo usou primeiramente o trabalho indígena, o qual não se mostrou tão interessante visto que: "Os indígenas brasileiros, vivendo no estágio da comunidade primitiva, desconheciam a escravidão. Ou devoravam os prisioneiros de guerra ou assimilavam-no à tribo."(1. pp. 44-45). A solução foi trazer os negros, os quais Portugal já conhecia da costa africana. Esses passaram a ser escravizados no Brasil no início do ciclo da cana-de-açúcar. O negro, deslocado de sua terra e de sua cultura, foi o terceiro elemento da formação étnica do Brasil.
 Do século XVI ao início do século XIX, a constituição étnica principal do Brasil foi o negro, o índio e o branco. No início do século XIX, várias mudanças estruturais fizeram com que a população do Brasil aumentasse. A vinda da família real, a necessidade de uma força armada e a grande necessidade de povoar o território figuram entre as principais mudanças.
"Formou-se então, a primeira corrente de colonos ou imigrantes portugueses vindos principalmente das ilhas dos Açores. Foram escolhidos, de preferência, grupos familiares [...]" (2. p.178). Que por sinal foi uma grande exceção na história do Brasil. Em meados do século XIX a necessidade de mão-de-obra para a lavoura do café traria muitos migrantes em situação extremamente difícil para trabalhar nas fazendas de café.
Por volta de 1850 -1930 chegaram ao Brasil migrantes de origem europeia e alguns asiáticos. O Brasil vinha sendo pressionado para acabar com a escravidão e o europeu atenderia a necessidade de mão-de-obra e ao mesmo tempo promoveria um certo "embranquecimento" do povo brasileiro.
Durante esses oitenta anos grande levas de portugueses, espanhóis e italianos entram no país. Também chegaram alemães, libaneses e japoneses. Todos contribuíram muito com a formação cultural do Brasil, pois na nova terra manifestavam seus costumes e suas crenças, influenciaram e foram influenciados. Nossa música, nosso idioma, nossas festas populares, nossas crenças tiveram influências significativas desses povos que aqui se fixaram.
A partir de 1930 a migração para o Brasil declinou, na segunda guerra mundial o nível de migrantes para o Brasil se reduziu ao máximo, para depois, entre 1949 e 1953, ter um sutil aumento nas taxas de migração, mas ainda pouco significativas.
Fluxo de migrantes da Europa para a América. Notem que o sudeste e sul do Brasil, Argentina e Uruguai receberam um significativo número de migrantes europeus.
Fluxo de migrantes negros e árabes que saíram da África e vieram para a América. Praticamente todo litoral do Brasil, a América Central (insular e continental) e o sul dos Estados Unidos receberam muitos migrantes. Notem a predominância dos negros.
 As matrizes culturais do Brasil estão relacionadas à formação cultural da população brasileira. As bases destas matrizes foram estabelecidas pela miscigenação de diversos grupos étnicos.
A população do Brasil é uma mistura rica entre índios, brancos europeus e negros. A formação desta identidade cultural começou no período colonial.
Os traços culturais dos brasileiros são muito diversificados. Essas misturas podem ser vistas de forma bastante evidente nos cidadãos que vivem no sul do Brasil, no norte e no nordeste.
 As etnias que formaram a matriz cultural do Brasil ainda estão presentes na cultura do país. É possível afirmar que a primeira miscigenação que aconteceu em nosso país foi entre o branco europeu e os índios brasileiros.
Os negros, que foram trazidos ao país como escravos, constituem o terceiro elemento da formação étnica do Brasil. Já a última fase da miscigenação dos brasileiros aconteceu com a chegada dos imigrantes que substituíram os negros nos trabalhos das fazendas depois da abolição da escravatura.
No último cenário da matriz cultural, que aconteceu na imigração no século XIX, houve uma nova mistura de etnias entre brasileiros, europeus e asiáticos. A partir dessa formação, a cultura brasileira recebeu diversas influências externas que deram origem a nossa rica identidade nacional.
 A constituição étnica da população brasileira é formada por três principais grupos: o indígena, o branco e o negro africano. Somos multiculturais por formação: os imigrantes contribuíram muito na formação da população brasileira ao lado de outros grupos e culturas, como portugueses, indígenas e africanos. Inúmeras levas de estrangeiros chegaram ao país, principalmente ao longo do século XIX e nas primeiras décadas do século XX. A emigração envolve o drama dos envolvidos, que abandonaram seu país de origem, a interrogação sobre a terra futura e a nostalgia da terra passada. No século XX, mais um grupo étnico veio participar da formação da população brasileira: o asiático, representado, principalmente, pelos japoneses, chineses e coreanos. Etnia corresponde a um agrupamento humano cuja unidade repousa na comunhão de língua, cultura e de consciência grupal. Podem existir, em uma etnia, traços físicos comuns, entretanto não são eles que a definem, e sim o sentimento de pertencer ao agrupamento ou à comunidade. O termo raça, por sua vez, largamente utilizado no passado, é hoje considerado impróprio, pois a ciência já constatou que, no sentido biológico, não existe raça humana. Durante muito tempo utilizou-se a miscigenação da nossa população, isto é, o cruzamento entre grupos étnicos, para se afirmar que no Brasil sempre existiu uma “democracia racial”. No entanto, essa visão é hoje considerada um mito, pois obscurece a realidade do preconceito e da discriminação ainda presentes na sociedade brasileira. No passado, tal mito disfarçava o preconceito de cor em relação ao indígena, ao negro e aos mestiços e, também, o preconceito social determinado pela renda e pelo status social. Serviu de forma admirável à classe dominante para mascarar as opressivas relações étnicas e sociais no Brasil.