CARPE DIEN

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

TEXTO DE APOIO - 2as SÉRIES - 3o BIMESTRE - MATRIZES CULTURAIS


2as SÉRIES - 3o BIMESTRE - MATRIZES CULTURAIS



As Imigrações


1. Histórico



A palavra migração é usada quando ocorre deslocamento populacional, sendo exemplificada pelos tipos:
transumâncianomadismo, pendular, êxodo rural, inter-regional e as internacionais. Neste último, aparece a imigração, isto é, a entrada de pessoas em um país. As causas destes deslocamentos são econômicas (emprego), religiosas, políticas e até naturais (terremoto).
O século XIX foi o mais importante para a imigração, graças às grandes transformações econômicas, so-ciais e políticas. Portugal organizou a própria desco-lonização brasileira, ou seja, para passar de colônia para república, ocorreu o império.


Paul Hugon, Demografia Brasileira: ensaio de demoeconomia brasileira, p. 56; IBGE,
Anuário Estatístico do Brasil, 1970.


Pelo gráfico, a imigração começa oficialmente em 1808, com a abertura dos portos, e a transferência da sede do Império Português para o Rio de Janeiro, sendo fraca até 1830. Mas, de 1850, com a extinção do tráfico de escravos, até o governo Vargas (década de 1930) ocorreu o auge. Depois veio a decadência, em virtude das crises, ditaduras, restrições federais e  da própria reconstrução européia pós-guerra,  melhorando as condições de vida.
No auge, vários fatores explicaram o êxito da imigração, sobretudo a associação entre as péssimas condições de vida na Europa (guerras, pestes) com a cafeicultura do sudeste brasileiro, oferecendo empregos; e a própria abolição da escravidão em 1888.

2. Os Imigrantes




Observa-se, pelo gráfico, a política racista do governo federal, isto é, na substituição do trabalho escravo pelo assalariado, o governo não ofereceu o trabalho da cafeicultura para os africanos e sim para os euro-asiáticos, supondo que o "branqueamento" da nossa população deixaria o país "civilizado" e desenvolvido.
As principais regiões que receberam esses imigrantes foram o Sudeste e o Sul. A primeira em virtude, principalmente, da cafeicultura; e a segunda em virtude das fronteiras instáveis, uma vez que Paraguai, Uruguai e Argentina demonstravam interesses territoriais, o que obrigou nosso governo a adotar a política de ocupar para não perder.


Com isso, ocorreu o antagonismo regional, pelo qual o Sudeste desenvolveu-se em grandes proprie- dades monocultoras e o Sul desenvolveu-se em pequenas propriedades policultoras, graças à venda de terras aos imigrantes. Ao todo, chegaram mais de 5 milhões de pessoas no país, mas muitos não ficaram, por vários fatores,  como a falta de uma política ou lei que respeitasse o imigrante. Muitos foram mal tratados e até escravizados como aconteceu com alemães e japoneses.
Confira, pela tabela, os principais imigrantes e suas respectivas áreas de fixação:





3. Portugueses e Italianos


Grupo de imigrantes mais numerosos, os portugueses entraram no país em vários períodos, sobretudo de 1500 a 1808, 1891 a 1930 e após 1950, somando quase 1,8 milhão de imigrantes. Geograficamente, optaram por São Paulo e Rio de Janeiro, e uma minoria, por outros lugares. Contribuíram culturalmente com o idioma e a religião predominante no país (católica).
Após os portugueses, os italianos constituem o grupo mais abundante de imigrantes. O estado de São Paulo foi a principal área de destino desses imigrantes que, juntamente com outros grupos, substituíram o trabalho escravo nas lavouras de café.
Outros italianos tentaram a vida na região Sul, sobretudo em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, principalmente, como pequenos agricultores, marcando a agricultura sulista com a mão-de-obra familiar e vitivinicultura.








Exercícios Resolvidos e comentados


01. (PUC - SP) Por que diminuiu a imigração da Europa Ocidental para o Brasil após 1950?

Resposta

Os governos de países emigratórios europeus restringiram a saída de trabalhadores, aproveitando a mão-de-obra na reconstrução nacional, após a Segunda Grande Guerra. Soma-se a isso a melhoria das condições econômicas de alguns países da Europa Ocidental, que passaram a atrair a mão-de-obra proveniente dos países emigratórios.



02. (FUVEST-SP) Após a extinção do tráfico de escravos em 1850, o Brasil começou a atrair a mão-de-obra imigrante para a lavoura do café. O sucesso, nesta empresa, foi facilitado:

a) pela captação da corrente imigratória italiana e alemã para os Estados Unidos, em virtude da Guerra de Secessão.

b) pelas condições precárias de vida e intranqüilidade política na Europa, principalmente na Itália e Alemanha.

c) pela extinção da escravatura nos Estados Unidos, que praticamente eliminou a necessidade da mão-de-obra imigrante.

d) pelo desvio da corrente emigratória italiana e alemã para a Argentina, em virtude dos conflitos no Prata.

e) pela utilização de máquinas a vapor na indústria têxtil européia, que liberou grande quantidade de operários, sobretudo na Europa Central e Meridional.
Resposta: B
O governo Brasileiro realizou uma campanha com os fazendeiros, objetivando atrair imigrantes na Europa, no século XIX.


4. Espanhóis

Em relação ao número, representaram o terceiro maior grupo imigratório, e sua imigração é considerada antiga, graças à União Ibérica (1580/1640). O período mais importante ocorreu entre 1904 e 1914. Eles fixaram principalmente em São Paulo e, em menor número, no Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Em razão do idioma e religião semelhantes, não tiveram dificuldades culturais de adaptação ao País.

5. Alemães

A partir de 1824, os alemães começaram a chegar, principalmente no Rio Grande do Sul (vale do rio dos Sinos), em colônias como São Leopoldo, Novo Hamburgo e Taquara. Em Santa Catarina, marcaram o vale do Itajaí, e áreas vizinhas, com colônias que deram origem a Blumenau e Joinville, entre outros. Atualmente, essa região é caracterizada pela indústria têxtil.





Ao contrário dos italianos e espanhóis, os alemães tiveram uma integração cultural bastante difícil, em virtude da grande diferença entre as culturas. O principal período da entrada ocorreu de 1850 a 1871.

6. Japoneses

Começaram a chegar em 1908, sendo o maior período entre 1924 e 1934, e eram provenientes de áreas rurais do Japão. Dedicaram-se a atividades agrícolas e atividades urbanas relacionadas ao comércio.
Assim como aconteceu com os alemães, os japoneses também tiveram sérias dificuldades culturas de adaptação, notadamente pelo idioma, muito diferente do nosso. O estado de São Paulo foi o que mais recebeu esses imigrantes. Confira, pelo mapa, as áreas mais importantes.






1 – Grande São Paulo: colaboraram na formação do cinturão hortifrutigranjeiro.

2 – Oeste paulista: região de Marília, Bastos, Tupã, Lins – dedicaram-se à cafeicultura e à cultura do algodão.

3 – Vale do Ribeira do Iguape: cultivaram o chá da Índia e a banana.

4 – Vale do Paraíba do Sul: cultura irrigada do arroz.

Outras áreas receberam os japoneses: o norte do Paraná, na cafeicultura, a zona de Bragantina, no Pará, no cultivo de pimenta do reino (cidade de Tomé-Açu) e o vale do Amazonas, nas culturas de juta e arroz.

4. Outros Imigrantes

Os eslavos, representados pelos russos, ucranianos e poloneses, concentraram-se no Paraná, em atividades agrícolas e extrativas (araucária), e fundaram cidades, por exemplo, Ponta Grossa. Chegaram principalmente entre 1872 e 1886.
Os suíços-alemães foram dos primeiros imigrantes a chegar ao país, por volta de 1819. Fundaram Nova Friburgo no Rio de Janeiro. Foi uma tentativa fracassada do governo em colonizar essa região, em virtude da falta de meios de comunicação e transporte.


Exercícios Resolvidos

01. (Fuvest-SP) Iniciando sua imigração em 1908 e destacando-se no período de 1920 a 1934, os japoneses concentram-se principalmente nos estados de São Paulo e Pará. Especifique as áreas e os principais produtos por eles cultivados.

Resposta:

São Paulo: capital e arredores (hortifruticultura), vale do Paraíba (arroz e hortifruticultura), Oeste Paulista (algodão), vale do Ribeira (chá, banana); Pará: região Bragantina (pimenta-do-reino), vale médio do Amazonas (arroz e juta).

02.(Uniube-MG) Na segunda metade do século XIX, o Brasil recebeu um grande contingente imigratório. Um dos grupos de imigrantes se destaca por ter participado da fundação de várias cidades, tais como Blumenau, Joinville, São Leopoldo e Novo Hamburgo. O texto refere-se aos imigrantes:

a) italianos.

b) franceses.

c) alemães.

d) espanhóis.

e) portugueses.

Resposta: C

O auge da imigração alemã foi entre 1850 e 1871.

8. Emigrações

A queda da imigração foi motivada por vários fatores, como as melhores condições de vida no pós Segunda Guerra Mundial na Europa e o avanço da indústria paulista, que aproveitou os migrantes nordes tinos, anulando a importância da imigração européia.
O governo federal, preocupado com o excesso de desempregados em regiões como o Nordeste, implantou as medidas restritivas http://interna.coceducacao.com.br/ebook/images/icon_lf.gif (Constituição de 1934), oficializando a decadência da imigração.
Mais tarde, na década de 1970, começou o processo de reversão, pelo qual o país passou a ser emigratório, isto é, pessoas passaram a ir para o exterior, em razão do autoritarismo da ditadura militar (exilados), da crise econômica após o " Milagre Econômico" (1973 – 1º choque do petróleo) e do agravamento da crise na
década seguinte.
Os brasileiros continuam buscando trabalho no exterior, "sonhando" em acumular dinheiro por um prazo, objetivando até voltar com melhores condições de investimentos. Como, geralmente, estão em condição ilegal nos países escolhidos, sofrem discriminação social, favorecendo a exploração. Observe, pela tabela, a localização desses brasileiros



  
9. Decasséguis

São os imigrantes japoneses e seus descendentes, inseridos na nossa sociedade, os quais optam por trabalhar no Japão. Pela lei nipônica, o visto de trabalho é apenas para os nisseissanseis e para os casados com descendentes de japoneses.




Revista Made in Japan / Ministério da Justiça do Japão
O principal motivo de atração é, sem dúvida, os altos salários pagos, em comparação com o Brasil, apesar da extensa jornada de trabalho e das dificuldades  de  adaptação.  Normalmente,  a maioria trabalha em indústrias eletrônicas, elétricas e de peças automobilísticas, e vivem em pequenos apartamentos, de preferência próximos ao trabalho.
Em 1997, com a crise asiática, o desemprego aumentou no Japão, e a recessão econômica inibiu a entrada de estrangeiros.


10. “Brasiguaios”

São os brasileiros que, a partir da década de 1970, optaram por residir no Paraguai, incentivados pelos baixos preços da terra. O governo do país vizinho autorizou o loteamento de pequenas propriedades na região do Alto Paraná, atraindo os brasileiros, uma vez que a terra, do nosso lado (Paraná e Santa Catarina), era cara demais.
No entanto, houve corrupção por parte de empresas particulares e do próprio governo paraguaio no processo de colonização, como a venda de uma mesma propriedade a dois compradores, o que resultou em conflitos. Posteriormente, o pequeno produtor, abandonado pela falta de legislação, foi desapropriado e muitos vivem na miséria ou optam pela volta ao Brasil.
Apesar do desprezo e do abandono por parte do governo, na década de 1990 os "brasiguaios" foram responsáveis por 90% da soja e 80% do milho produzidos no Paraguai. 

 Confira, no mapa abaixo outros exemplos emigratórios



  
Exercícios Resolvidos

01. Quais foram os motivos que levaram o governo brasileiro a restringir a imigração a partir de 1934?

Resposta

As medidas restritivas à imigração, promulgadas nas Constituições de 1934 e 1937, deveram-se a dois motivos principais: a existência de um excedente de mão-de-obra no país, em especial no Nordeste (pela crise dos cultivos da cana-de-açúcar e do algodão), e o grau de consciência política dos imigrantes em geral, que realizaram as primeiras greves e constituíram espontaneamente os primeiros sindicatos de trabalhadores no Brasil.

02. (Vunesp) Os imigrantes japoneses começaram a chegar ao Brasil em 1908, atingindo, na atualidade, aproximadamente 1,5 milhão de “nikkeis”, os quais englobam imigrantes japoneses e seus descendentes. Nos  últimos  anos,  tem  crescido  a ida de brasileiros para o Japão, principalmente na faixa produtiva dos 20 aos 35 anos. Esta inversão no fluxo migratório está vinculada à(ao):

a) desejo de conhecer e se engajar em trabalhos altamente especializados.

b) entrave burocrático provocado pela lei brasileira que proíbe o trabalho de imigrantes japoneses e seus descendentes.

c) desejo de fazer turismo a baixo custo, apesar dos altos salários recebidos no Brasil.

d) boa aceitação da comunidade japonesa, que reserva aos imigrantes os melhores e mais valorizados empregos.

e) engajamento no mercado de trabalho não-espe-cializado e temporário, através de agenciadores ou intermediários.

Resposta: E

A migração de nipo-brasileiros para o Japão visa a suprir a demanda por mão-de-obra pouco especializada.




TEXTO DE APOIO - 1as SÉRIES - 3o BIMESTRE - ELEMENTOS NO MAPA



1as SÉRIES - 3o BIMESTRE - ELEMENTOS NO MAPA

Cartografia: a Linguagem dos Mapas

1. Introdução
http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
A cartografia envolve as técnicas de criação de mapas, sendo uma ferramenta importante para a geografia. Apresenta desafios, como, por exemplo, representar uma esfera (Terra) sobre um plano (mapa-múndi), ocorrendo distorções. Um segundo desafio é descobrir a ideologia que um mapa esconde, isto é, mapas contêm visões de mundo. Como a Terra é redonda, o Brasil, por exemplo, pode ser visto de vários ângulos e, o mais importante, todos estão corretos.

Brasil no Planeta




. Elementos Principais da Cartografia

Escalas são a relação entre as dimensões apresentadas em um mapa e seus valores reais correspondentes no terreno.

Tipos
http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
Numérica – é representada por uma fração e normalmente é dada em centímetro. Exemplo:




http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
No exemplo acima, 1 cm no mapa é, na realidade, 500.000 vezes maior. Para resolver um exercício, normalmente transforma o número em quilômetro, obtendo-se a seguinte relação: 1 cm = 5 km.

Gráfica — é representada por uma linha reta graduada, tendo como módulo básico o centímetro. Exemplo:


http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
Nesse caso, 1 cm no mapa equivale na realidade a 120 km.

Projeções envolvem a representação da Terra em um plano, destacando a rede de paralelos e meridianos da esfera terrestre. Utilizam figuras geométricas semelhantes a uma esfera ou aquelas que permitem o seu desenvolvimento, destacando-se o cone, o cilindro e o plano.


PROJEÇÃO PLANA



PROJEÇÃO CÔNICA

PROJEÇÃO AZIMUTAL




Exemplos


I. Projeção de Mercator 


Nessa projeção, os paralelos e os meridianos são linhas retas que se cortam em ângulos retos, porém as áreas polares mostram tamanho exagerado. É uma projeção conforme, porque tem a vantagem de conservar a forma dos continentes, mas traz a desvantagem de deformar as áreas relativas dos continentes, isto é, a deformação aumenta próximo aos pólos. Observando a figura acima, a América do Sul aparenta ser menor que a Groenlândia, mas, na realidade, ela tem quase 18 milhões de km2 contra 2 milhões de km2 da Groenlândia. Portanto, é uma projeção cilíndrica conforme, sendo usada na navegação. Questiona-se o eurocentrismo desta projeção.



II. Projeção de Peters



É uma projeção cilíndrica equivalente, que conserva a proporcionalidade das áreas relativas entre os continentes, mas as formas são distorcidas, destacando-se o alongamento dos continentes.



Exercícios Resolvidos


01. (Vunesp)   Sobre  um  mapa  na  escala  de 1:500 000, tenciona-se demarcar uma reserva flores- tal de forma quadrada, apresentando 7 cm de lado. A área da reserva medirá no terreno:

a) 122, 5 km2

b) 1.225 km2

c) 12.250 km2

d) 12,25 km2

e) 12.255 km2


http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
Resposta comentada: 

B. Nesse exercício, 1 cm equivale a 5 km

1 cm _______ 5 km
  x = 35 km
7 cm ________ x

A área quadrada será lado × lado,
ou 35 × 35 = 1.225 km2


02. 

Nessa projeção, os meridianos e os paralelos são linhas retas que se cortam em ângulos retos. Corresponde a um tipo cilíndrico pouco modificado. Nela, as regiões polares aparecem muito exageradas. Trata-se da projeção:

a) ortográfica.

b) cônica.

c) azimutal.

d) de Peters.

e) cilíndrica de Mercator.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
Resposta comentada: 

E. Compare a área da América do Sul (18 milhões de km2) com a da Groenlândia  (2 milhões de km2).

03.


Com relação ao mapa acima:

a) o erro está no fato de ele ser apresentado de modo invertido, pois a Antártida está colocada ao norte e a Europa e a Ásia, ao sul da Terra, fato que invalida a Projeção de Peters.

b) nenhum dado está correto, pois, com a Projeção de Peters, a Europa aparece proporcionalmente menor do que realmente é em relação aos demais continentes.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
c) a forma do traçado dos continentes está mantida, mas o erro está no fato de o mapa ser apresentado de modo invertido, resultado da Projeção de Peters.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
d) a proporção entre as áreas dos continentes corresponde à realidade, apesar de comprometer as suas formas, resultado da Projeção de Peters.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
e) todos os dados são fiéis à realidade: a proporção entre as áreas, as formas dos continentes e as distâncias entre todos os pontos da superfície terrestre.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
Resposta comentada: 

D. É uma projeção cilíndrica equivalente, conservando a proporcionalidade das áreas.


3. Elementos Secundários da Cartografia

3.1. Curvas de Nível http://interna.coceducacao.com.br/ebook/images/icon_lf.gif

As curvas de nível são chamadas de isoípsas e unem pontos de mesma altitude de relevo. Esse conceito apareceu na Holanda, no século XVIII e foi usado para cartografar o fundo do rio Merwede, sendo um sistema matemático baseado em levantamentos geodésicos, no qual o marco zero metro é o mar.

As curvas de nível http://interna.coceducacao.com.br/ebook/images/icon_lf.gif apresentam as seguintes características:

●  Representam tanto a altitude quanto a forma de relevo.

● Quando existem grandes diferenças de altitudes em pequenos espaços, as linhas apresentam-se muito próximas umas das outras; quando o relevo é suave, as diferenças são menores e as linhas apresentam-se mais distanciadas.

●  De acordo com a variação da altitude, a equidistância das curvas pode ser de 10, 20, 50 ou 100 metros.






3.2. Rosa-dos-Ventos http://interna.coceducacao.com.br/ebook/images/icon_lf.gif

A rosa-dos-ventos é um meio de orientação importante devido à extensão do planeta e serve como vocabulário da geografia, aparecendo no nosso dia-a-dia e principalmente nos vestibulares.





É formada pelos pontos cardeais, colaterais e subcolaterais.

• Cardeais
– norte ou setentrional ou boreal
– sul ou meridional ou austral
– leste ou oriental ou nascente
– oeste ou ocidental ou poente

• Colaterais: 
ficam entre os pontos cardeais.
– nordeste (NE) – entre o norte e o leste;
– sudeste (SE) – entre o sul e o leste;
– sudoeste (SO) – entre o sul e o oeste;
– noroeste (NO) – entre o norte e o oeste.

• Subcolaterais:
 ficam entre os pontos cardeais e os colaterais.
NNE = nor-nordeste
ENE = es-nordeste
ESE = es-sudeste
SSE = su-sudeste
SSO = su-sudoeste
OSO = oes-sudoeste
ONO = oes-noroeste
NNO = nor-noroeste

3.3. Coordenadas Geográficas

Conjunto de linhas imaginárias traçadas sobre a superfície terrestre, objetivando localizar qualquer lugar ou ponto.

•  Latitude: é a distância em graus de um ponto qualquer da superfície terrestre à linha do Equador, variando de 0° a 90° tanto para o norte como para o sul.

• Longitude: é a distância em graus de um dado ponto da superfície terrestre ao meridiano de origem (Greenwich), variando de 0° a 180° para leste e para oeste.




Para compreender melhor as coordenadas, é fundamental lembrar-se das principais linhas imaginárias.


 Paralelos: círculos menores e paralelos ao Equador (divide a Terra em dois hemisférios).






Meridianos: são círculos máximos que passam pelos pólos, destacando o principal: Greenwich (divide a Terra em dois hemisférios).






Exercícios Resolvidos

01. (UFPE-PE) Observe o gráfico a seguir e assinale o item que indica uma falha de representação.


a) As curvas de nível apresentam eqüidistância de 20 m.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
b) A aproximação das curvas de nível indica maior declividade do terreno.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
c) A curva de 200 m representa o ponto mais elevado do relevo.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
d) Cada curva de nível é formada por pontos de idêntica cota altimétrica.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
e) A partir de um conjunto de curvas de nível, pode-se obter um perfil topográfico.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/pages/images/dot.gif
Resposta: C.
Observe que, pela representação do morro, o ponto mais alto ultrapassa a linha de 200 metros.


02. 




Considerando o mapa da América do Sul acima, é correto afirmar que:

a) tendo como referência a cidade de Belo Horizonte, São Luís situa-se ao norte; o Rio de Janeiro, ao sul; Vitória, a leste; Campo Grande, a oeste; Assunção, a sudoeste; Salvador, a nordeste; Brasília, a noroeste; São Paulo, a sudeste.

b) tendo como referência a cidade de Assunção, São Paulo situa-se a sudeste; Buenos Aires, a noroeste; Rio de Janeiro, a leste; Montevidéu, ao sul; Lima, a oeste; Cuiabá, ao norte; Recife, a sudoeste; Brasília, a nordeste.

c) tendo como referência a cidade de São Paulo, o Rio de Janeiro situa-se a nordeste; Cuiabá, a oeste; Porto Alegre, ao sul; Belo Horizonte, a sudeste; Caracas, a leste.

d) tendo como referência a cidade de Quito, Caracas situa-se a nordeste; Lima, ao sul; Manaus, a leste; Cuiabá, a sudeste; Santiago, a leste; Porto Alegre, a oeste; Bogotá, a noroeste; Belém, ao norte; La Paz, a sudoeste.

e) tendo como referência a cidade de Cuiabá, Brasília situa-se a leste; Montevidéu, ao sul; Fortaleza, a nordeste; São Paulo, a sudeste; La Paz, a oeste; Bogotá, a noroeste; Santiago, a sudoeste; Paramaribo, ao norte.

Resposta: E.

Centrar a rosa-dos-ventos em Cuiabá.


03. (UnB-DF) Com relação às coordenadas geográficas, à orientação e aos fusos dos pontos assinalados na figura abaixo, é correto afirmar que:

I. os pontos B e C possuem diferentes latitudes e mesma longitude.

II. o ponto D está situado nos hemisférios Norte e Ocidental.

III. o ponto A está localizado a 0° de latitude e 90° de longitude S.




Resposta: I – V, II – F, III – F

B: 60° de latitude N, 135° de longitude O,

C: 60° de latitude S, 135° de longitude O

A: 90° de latitude S, 0° de longitude

O ponto D está situado nos hemisférios Norte e Oriental.


BONS ESTUDOS